Fla pressiona, mas desperdiça oportunidades e perde para o São Paulo no retorno do Brasileirão

Logo no retorno do Brasileirão após a Copa do Mundo, o Flamengo recebeu o São Paulo, duelo importantíssimo para a parte de cima da tabela. Líder absoluto, o Mengão teve o privilégio de jogar em casa, para o público de 55.946 presentes (51.777 pagantes). Entretanto, decepcionando a massa rubro-negra, o Fla foi superado pelo adversário, perdendo pelo placar de 1 a 0.

O jogo

Convicto de que o trabalho vem sendo bem feito, o técnico Mauricio Barbieri manteve o mesmo padrão tático que utilizou antes da pausa para o Mundial. Entretanto, foi obrigado a fazer mudança de peças, por conta de saídas e suspensões: Guerrero, Marlos e Rômulo ganharam vaga na equipe titular, além de Réver, que reassumiu a posição após se recuperar de lesão.

Apesar da ideia do 4-3-3 ser mantida, pôde se perceber um maior deslocamento de Diego, uma vez que o meia, por vezes, se apresentava mais caído pelo lado esquerdo, liberando o colombiano Marlos Moreno para avançar e, em algumas ocasiões, jogar na mesma linha de Guerrero.

Entretanto, não era só o Flamengo que parecia bem treinado para fazer o que estava planejado. O São Paulo, jogando com linhas bem compactas, não dava tantas brechas ao Rubro-Negro e, quando encontrava espaço, saía na velocidade para pegar a defesa do Mengo exposta.

Prova dos poucos espaços em campo é o fato de que a primeira chance clara de gol surgiu apenas aos 29 minutos de jogo, e foi do Tricolor. O estreante da noite, Joao Rojas, recebeu pelo lado direito, encarou Réver no um contra um e deixou o capitão rubro-negro na saudade. O equatoriano bateu cruzado e Diego Alves defendeu bem. No rebote, Everton Cardoso emendou uma puxeta, mas a bola acabou se perdendo pela linha de fundo.

Após a chance dos visitantes, o Mengão foi para o ataque tentar a resposta, e a bola parada parecia ser a chave. O primeiro lance de perigo partiu de escanteio pelo lado esquerdo: Diego cobrou fechado e Sidão teve que sair para socar a bola. Na sobra, Everton Ribeiro encheu o pé e a bola tinha endereço, mas acabou desviando em Nenê e foi para escanteio.

Pouco depois, aos 42, Diego teve nova chance de alçar a bola na área. O camisa 10 cobrou a falta na risca da pequena área, Lucas Paquetá se antecipou à zaga e desviou para tentar balançar as redes. A bola superou o goleiro adversário, mas acabou indo caprichosamente no travessão, levando a torcida ao delírio no Maracanã.

A partida seguiu truncada, com as duas equipes esperando erros do adversário e brechas para impor seus respectivos estilos de jogo. Vale destacar que, na reta final do primeiro tempo, o número de faltas cresceu e cada time saindo com um amarelado: Rômulo pelo Fla e Everton pelo São Paulo. Ainda sobre o primeiro tempo, merece citar a grande atuação de Léo Duarte, que não deu espaço para as investidas em velocidade da equipe paulista

A postura do Fla para os últimos 45 minutos não mudou. O Rubro-Negro seguiu propondo o jogo e, logo aos dois minutos, Marlos Moreno fez ótima jogada individual, driblo um marcador e tentou cruzar na área. Porém, foi travado no momento do passe, e a bola saiu para escanteio.

No escanteio, o São Paulo cortou bem, e o contra-ataque foi cruel. Nenê recebeu em velocidade e tentou virar para Rojas. Renê cortou, mas a bola acabou voltando para o domínio tricolor. Rojas recebeu pela direita, conseguiu dominar e cruzar desta vez. A bola foi na medida para Everton Cardoso, que cabeceou no contrapé de Diego Alves, sem chances para o goleiro.

Com o adversário na frente, o Fla passou a ter postura ainda mais ofensiva. Em lance pela esquerda, Renê chegou à linha de fundo e tentou passar para Diego. O meia não conseguiu finalizar bem e a pelota sobrou para Guerrero. Sem jeito, o peruano até conseguiu desviar de cabeça, mas o goleiro Sidão fez a defesa aos cinco minutos.

Com o placar favorável, o São Paulo passou a fazer a famosa cera, retardando o início da partida ao máximo nos lances de bola parada, o que gerava cada vez mais irritação nos rubro-negros.

Para ter mais poder de fogo, Mauricio Barbieri resolveu mexer na equipe logo aos 15 minutos do segundo tempo. O treinador sacou Marlos Moreno, que se apresentava bem, mas falhava na hora de decidir, e chamou o colombiano Fernando Uribe, que entrou para estrear pelo Fla.

Com poucos minutos em campo, o camisa 20 teve grande chance para igualar o marcador. Diego lançou na área, Guerrero foi no segundo andar e escorou para a entrada da pequena área. Paquetá finalizou bem e Sidão fez ótima defesa. Na sobra, a bola veio a priore para Uribe que, na marca do pênalti, finalizou para fora.

E o Flamengo seguiu pressionando. No lance seguinte, Paquetá recebeu pela direita e mandou na medida para Uribe mostrar um de seus principais fundamentos: o cabeceio. O colombiano foi muito bem no lance e cabeceou para o chão. Porém, melhor que a finalização de Uribe foi a defesa de Sidão, que garantiu a manutenção do placar aos 21 minutos.

O destino parecia querer consagrar Fernando Uribe, e ele teve uma nova chance. Em um dos poucos contra-ataques que o Rubro-Negro teve, Diego fez passe em profundidade para o colombiano. Ele avançou com liberdade e invadiu a área. Porém, ao invés de finalizar, ele preferiu esperar Guerrero chegar e tentou o passe. Contudo, junto ao peruano, chegou a marcação, e o Fla perdeu uma grande chance.

Com dois centroavantes, o Flamengo passou a investir na jogada aérea, e Barbieri decidiu fazer mais uma alteração: ele sacou Rômulo, que não fazia grande partida, para colocar Miguel Trauco, uma vez que o camisa 13 tem característica mais ofensiva.

A última cartada de Mauricio Barbieri foi aos 38 minutos. Ele sacou Everton Ribeiro, que caiu de rendimento no segundo tempo, e acionou o jovem Matheus Sávio, que entrou para atacar pelo lado direito.

Apesar da pressão e das mexidas realizadas, o Flamengo não conseguiu reverter o placar e acabou sendo derrotado pelo Tricolor Paulista. Com a vitória, o time treinado por Aguirre chegou a 26 pontos e colou no Fla na tabela de classificação. Porém, o Fla ainda continua sendo líder, com 27 pontos.

A próxima oportunidade para o Mais Querido voltar a pontuar no Brasileirão será no sábado (21), quando o Mengo encara o Botafogo pela 14ª rodada da competição. O embate está marcado para as 19h (de Brasília) no Maracanã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here