Após perder dois patrocinadores, Flamengo irá deixar de ganhar R$ 40 milhões por temporada

Bandeira discursa durante evento promovido pela Carabao (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Por decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), a Caixa Econômica Federal não poderá mais patrocinar equipes de futebol no Brasil. A entidade definiu que é “irregular a prorrogação de contratos de patrocínio” de empresas estatais, uma vez que os mesmos “não se constituem em serviço de natureza contínua”. Este acórdão complicou a vida de clubes que dependem desses recurso, como o Flamengo.

O Rubro-Negro é quem mais sairá prejudicado. Sem a Caixa, o time irá deixar de ganhar R$ 25 milhões. Além do banco estatal, o clube também rescindiu recentemente com a Carabao. A empresa tailandesa de bebida energética pagava R$ 15 milhões para estampar sua marca na manga da camisa.

Durante campanha eleitoral, o presidente Rodolfo Landim deu indícios de ter conversas com empresas privadas para o patrocínio master, se baseando na bem sucedida carreira executiva que o novo mandatário possui. No entanto, até entao, não há qualquer movimentação nesse sentido que seja de conhecimento público.

Adaptado de: Coluna do Flamengo