Zagueiro do Flamengo, Pablo Marí rasga elogios para o treinador Jorge Jesus: “Mudou minha vida”

Marí em ação pelo Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

O “jeito Jorge Jesus” virou assunto no Flamengo desde a bronca do treinador em Reinier após a vitória sobre a Chapecoense no último domingo (06 de outubro).

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (09 de outubro), no Ninho do Urubu, o zagueiro Pablo Marí saiu em defesa do “estilo Mister de ser”, citando o próprio caso como exemplo. De acordo com o espanhol, o treinador português mudou sua vida em apenas três meses. O defensor ainda fez questão de destacar a maneira como Jesus treina o elenco do Flamengo.

Confira a declaração completo de Marí:

(siga nosso perfil no Instagram: @GaveaNews)

Contratado da Segunda Divisão da Espanha com aval de Jesus, Pablo Marí rapidamente se firmou no Flamengo e não saiu mais do time desde que estreou. Já são 16 jogos seguidos sem sequer ser substituído. O zagueiro espanhol admite desgaste, mas diz que compensa com a motivação:

— Cansando, evidentemente, estou. Não estava acostumado a jogar tantas partidas seguidas, domingo e quarta, mas tenho gana de seguir. Quando jogo pelo Flamengo esqueço que estou cansado. Quero muito ajudar a equipe.

Confira outras respostas de Marí:

Sequência de jogos

— Tenho sorte que o clube e o elenco me acolheram muito bem. Desde a estreia contra o Botafogo depositaram confiança em mim e ganhei sequência. Agora é a fase mais difícil. Temos que seguir trabalhando e nos preparando

(Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Rhodolfo ou Thuler?

— Já mostramos que temos um elenco forte. Qualquer um pode jogar. É um momento que necessitamos de todo o elenco. Todos são importantes. Quem entrar na zaga tenho certeza que cumprirá seu papel.

Experiência sul-americana

— É diferente jogar aqui. Há um ano eu estava na segunda divisão da Espanha. Agora vou jogar uma semifinal de Libertadores. É fruto do trabalho do dia a dia, trabalhando forte e desfrutando do futebol. Jogar no Flamengo tem sido muito bonito.

Faltas sofridas

— Temos recebido muitas faltas. É uma das armas dos adversários para tentar parar nosso jogo. Temos que jogar nosso futebol e confiar no trabalho da arbitragem. Não podemos depender dos outros. Temos que fazer a nossa parte.

Retirado de: Globo Esporte