Você sabia? Destaque do Flamengo já foi dispensado por divergência de R$ 200 em seu salário

Bruno Henrique durante a comemoração, após marcar mais um gol pelo Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Um dos destaques do Flamengo em 2019, Bruno Henrique vive um ano recheado alegrias. Tem sido decisivo em grandes jogos, é um dos artilheiros do time e foi, recentemente, convocado para a Seleção Brasileira. Peça fundamental no esquema de Jorge Jesus, o camisa 27 já viveu histórias curiosas antes de ascender no futebol.

Aos 22 anos, Bruno Henrique era atacante do Uberlândia, de Minas Gerais, e foi oferecido ao Manaus para a disputa da segunda divisão do Campeonato Amazonense.

Leia também:

No entanto, a pedida salarial do jogador, de R$ 1 mil, ficou R$ 200 acima do teto estabelecido pelo clube, o que acabou inviabilizando a transação. A história é confirmada por Luis Mitoso, atual presidente de honra do Manaus e presidente do clube em 2013:

– Havia um gerente, o Ângelo (Márcio), que é de Minas e na época dirigia o Uberlândia. Trouxemos alguns jogadores daquela área, e o Bruno Henrique estava nessa relação de jogadores. Na época, tínhamos uma folha salarial que orbitava em torno de R$ 1 mil por cada jogador. Era só a Série B do Amazonense. Ali deixamos de trazer o Bruno Henrique por questão de R$ 200. Ele queria R$ 1,2 mil e nós só podíamos oferecer R$ 1 mil – explicou, em entrevista ao portal ‘globoesporte.com’.

Bruno Henrique só ganharia projeção no cenário nacional com a camisa do Goiás, em 2015, quando foi escolhido como uma das revelações do Brasileirão. Antes, o jogador já se destacava no também goiano Itumbiara, para onde foi depois do Uberlândia. Do Goiás, o atacante se transferiu para o Wolfsburg, da Alemanha. Repatriado pelo Santos, brilhou em 2017, teve um 2018 difícil por conta de uma lesão no olho e vive fase esplendorosa no Flamengo.

Retirado de: Coluna do Fla