Jogadores do Flamengo apoiam movimento antirrascista: “Vidas negras importam”

Escudo do Flamengo é exposto próximo a um dos gols, no gramado do Maracanã (Foto: Daniel Castelo Branco)
Banner Stake

Ídolo do Flamengo, o atacante Gabigol se manifestou publicamente nesta segunda-feira em apoio ao movimento antirrascista que vem tomando crescendo nos últimos dias, após a morte do norte-americano George Floyd por um policial nos Estados Unidos.

Em postagem nas redes sociais, o artilheiro rubro-negro reproduziu a hashtag #VidasNegrasImportam.

Um dos capitães do time, o meia Everton Ribeiro também postou uma mensagem em suas redes sociais mostrando apoio ao movimento.

— Não é normal que em um país onde a maioria da população é negra, eles sejam minoria em universidades e grandes empresas. Estou disposto a aprender mais sobre isso a cada dia e disposto a usar minha influência para dar voz a pessoas negras que lutam por um país com mais igualdade – disse o camisa 7 do Flamengo.

Além de Gabigol e Everton Ribeiro, outros jogadores do Flamengo fizeram postagens semelhantes: o volante Gerson, os atacantes Vitinho e Lázaro e o goleiro Hugo Souza. No fim de semana, atletas nos EUA foram a protestos antirracistas.

O próprio perfil oficial do Flamengo também se manifestou em consonância com seus jogadores.

Confira as publicações abaixo:

https://twitter.com/GersonSantos08/status/1267515389958815747?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1267515389958815747&ref_url=https%3A%2F%2Fgloboesporte.globo.com%2Ffutebol%2Ftimes%2Fflamengo%2Fnoticia%2Fgabigol-e-outros-jogadores-do-flamengo-apoiam-movimento-antirrascista-vidas-negras-importam.ghtml
https://www.instagram.com/p/CA5vK5rHJ5Z/

Entenda

George Floyd, um homem negro de 46 anos, foi morto em Minneapolis, nos Estados Unidos, pelo policial Derek Chauvin. Acusado de utilizar uma nota falsa de 20 dólares, ele foi algemado, imobilizado e asfixiado pelo joelho. O policial está preso.

O episódio gerou uma onda de protestos nos Estados Unidos e reverberou também no Brasil. O Movimento de Favelas do Rio de Janeiro realizou um ato no último domingo. Recentemente, em São Gonçalo, região metropolitana, o adolescente João Pedro, de 14 anos, foi assassinado durante uma operação policial.

Retirado de: Globo Esporte