Dorival Júnior comemora últimos resultados do Flamengo

0
Treinador Dorival Junior durante o jogo entre Flamengo x Cuiabá pelo Campeonato Brasileiro de 2022 (Foto: Reprodução/Flamengo/Flickr)

O Flamengo segue com a rotina de grandes jogos e desta vez, mesmo com o desgaste, conseguiu vencer o Santos, fora de casa, por 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Nesse sentido, o treinador Dorival Júnior falou sobre a importância do trabalho coletivo dentro do clube, de todos os setores, para que a equipe alcançasse a terceira vitória seguida.

— Foi uma semana importante. Primeiro pelo nível de dificuldade que enfrentamos. Nesse sentindo, tenho a obrigação de reconhecer e elogiar o trabalho feito pelo clube. Desde a logística, foram quase 30 horas de viagem, até o departamento médico. Não conseguiríamos ter esses últimos resultados se não fosse o trabalho coletivo. Temos que enaltecer isso, todos os recursos usados para ajudar a diminuir o desgaste, disse o treinador.

— As pessoas as vezes não tem o entendimento e nem imaginam o que é ter que enfrentar três partidas precisando do resultado e equipe e em todas elas a equipe teve uma boa resposta. Contudo, ainda não é o ideal, ainda estamos muito longe do que queremos para a equipe. Mas podem ter certeza que os jogadores estão se entregando demais para que o Flamengo consiga cada ponto no campeonato. Plasticamente, ainda estamos longe do ideal, mas em termos efetivos, foi o que precisávamos para continuar vivos na disputa, concluiu.

Além disso, o treinador Rubro-Negro também falou sobre a evolução da equipe dentro da partida, analisando os altos e baixos durante os 90 minutos. O comandante também falou sobre a participação do jovem Garoto do Ninho Victor Hugo e o envolvimento de Gabigol em confusão.


— Acho que a postura para retomada de bolas e de agressividade de combate estão melhorando muito. E com a posse de bola, a equipe sabe o que faz. Em muitos momentos da partida, nós tivemos um jogo equilibrado, onde estávamos com as ações do jogo. Contudo, sofremos um pouco, desnecessariamente inclusive. Isso porque, as vezes, se erra um posicionamento que acaba proporcionando ao adversário ficar no campo ofensivo. Não é porque, recuamos a nossa equipe. Pelo contrário, queremos nossa equipe pressionando o adversário, mas isso não foi possível em alguns momentos da partida.

— Ele fez uma partida excelente, equilibrada, parecia um jogador veterano em campo. Ou seja, sabendo o que fazer com a bola, se posicionando muito bem, jogando de uma maneira simples e eficiente, quando girava, partia com muita segurança em cima da linha adversária. Enfim, teve comportamento excelente, e isto mostra a eficiência das categorias de base do clube. Estes jovens estão chegando preparados para o profissional e o Vitor Hugo foi mais uma grata surpresa.

— É difícil as vezes falar pelo atleta, mas tentei preparar os jogadores, que já passaram pelo Santos, da mesma forma. Sendo assim, falamos que em determinados momentos poderiam acontecer vaias e xingamentos, tentamos prepara-los para que reajam da melhor forma possível. Contudo, cada um reage de uma forma, e respeito isso. Ninguém deseja isso, mas tem situações que acabam fugindo do nosso controle, somos humanos e as vezes temos essa reação.

Retirado de: Diário do Fla