Jornalista alfineta médico do Flamengo e lamenta lesão de Rodrigo Caio

0

O Flamengo anunciou que o zagueiro Rodrigo Caio passará por artroscopia no joelho esquerdo e não jogará mais em 2022. O jogador não atua desde 10 de julho, quando se machucou na derrota para o Corinthians, pelo Brasileirão. Após a confirmação da necessidade do procedimento cirúrgico, o jornalista Renato Maurício Prado comentou a situação do defensor.

Em sua coluna no UOL Esporte, o jornalista rubro-negro destacou a qualidade e o profissionalismo de Rodrigo Caio. Contudo, destacou que o zagueiro só teve um único ano de atuação em alto nível com a camisa do Flamengo, que foi em 2019, logo quando foi contrato. Depois disso, o jogador conviveu com seguidas lesões.

— Dá pena ver a via crucis de um jogador tão talentoso e dedicado, mas de corpo tão frágil. Adianta insistir quando seu organismo berra que não dá mais? Contusões das mais variadas fazem parte da história de Rodrigo Caio, desde seus tempos de São Paulo, destacou Renato Maurício Prado.

— O inegável talento, aliado ao reconhecido bom caráter e ao profissionalismo inatacável levam o Flamengo a continuar tentando recuperá-lo. Mas até quando? O custo benefício dessa relação faz tempo é bastante discutível. (…) Nas quatro temporadas disputadas com a camisa rubro-negra, apenas em 2019 ele de fato foi útil. Difícil crer que volte a sê-lo, com tantos problemas físicos. Ainda mais, tratado por Márcio Tanure, completou o jornalista, sem perder a oportunidade de alfinetar o médico do Flamengo.

Rodrigo Caio se manifesta:

Em vídeo publicado nas redes sociais do Flamengo, Rodrigo Caio fez questão de falar sobre a lesão e o momento delicado. Visivelmente abatido, o jogador lembrou que, a princípio, a decisão foi por um tratamento conservador, mas sem sucesso.

— Fiz questão de estar presente. Deixar uma mensagem: acho que foi um ano bem complicado para mim fisicamente e mentalmente. Algumas lesões fizeram com que eu praticamente perdesse a temporada. Mas não vim para lamentar nada, pelo contrário. Me sinto uma pessoa privilegiada por tudo que construí na minha carreira e por tudo que tenho na minha vida. Sem dúvidas será mais um obstáculo vencido, disse Rodrigo Caio.

— A princípio, minha opção por não operar, junto com o departamento médico, foi por acreditar que o processo seria bem-sucedido, mas infelizmente não aconteceu. Cheguei no último estágio com esperança de jogar sem dores, mas não aconteceu. Acredito que até o último estágio eu vinha me sentindo bem. Quero deixar uma mensagem para todas as pessoas que me encontram no dia a dia, sendo flamenguista ou não. Recebo sempre palavra de carinho. A história do Rodrigo não acabou aqui. Acredito muito na minha força e no propósito de Deus. Fiz questão de deixar essa mensagem para as pessoas que torcem por mim. Nós vemos na próxima temporada e farei de tudo para entregar o máximo para a nação, que é quem nos deixa com a maior convicção que vale a pena todo o esforço para alcançar nossos objetivos, completou o zagueiro.

Retirado de: Torcedores