Filipe Luís revela que europeus estão dando mais valor ao Mundial de Clubes e explica o motivo

Filipe Luís em treino do Flamengo na academia do Ninho do Urubu (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Campeão da Copa Libertadores da América, o Flamengo já vislumbra o futuro e enxerga um possível confronto com o Real Madrid na final do Mundial de Clubes da FIFA, que será disputado em 2023. Para isso, ambas as equipes precisam passar pela semifinal.

Um dos jogadores de maior experiência do elenco, o lateral Filipe Luís concedeu entrevista ao canal do Youtube 3 na Área e abriu o jogo sobre a relação dos europeus com o Mundial. Ele admitiu que a importância dada na Europa ao torneio é menor do que na América do Sul, mas destacou um aumento na preocupação com a disputa.

Leia também:

— Claro que está na mente (o confronto com o Real Madrid no Mundial), mas ainda tem uma semifinal muito difícil antes. Outro time campeão…, disse Filipe Luís, que logo seguiu.

— O Mundial mexe muito com os jogadores que estão no Brasil, lá fora não importa muito, mas agora estão dando mais valor por causa do patch na camisa, premiação, e etc. O fato de perder para um sul-americano afeta muito para eles também.

Camisa do Real Madrid pesa em grandes finais

O lateral jogou diversas finais pelo Atlético de Madrid contra o Real Madrid, incluindo decisões de Champions League, Copa do Rei, entre outras. Ele admitiu que o clube merengue tem uma camisa que pesa em finais e que é difícil ser batida em grandes decisões.

— O Real Madrid é muito difícil. Perdi algumas finais e ganhei outras, como a Copa do Rei, Supercopa… é um time que sabe sofrer, tem qualidade e é frio, disse o lateral titular do Flamengo, que pode ter seu último ano de carreira em 2023.

— Quando o jogo está apertado, a bola não queima no pé de ninguém, e isso me surpreende. E é claro que a camisa pesa.

Retirado de: Torcedores