Lesão no bíceps femoral: entenda a lesão sofrida por Arrascaeta e Luiz Araújo, o tratamento utilizado e o período de recuperação

Luiz Araújo participa de treino do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)
Banner Stake

Por: Letícia Gerheim

A situação complicada do Flamengo na temporada foi ainda mais agravada com as ausências de Arrascaeta e Luiz Araújo, diagnosticados com lesão no bíceps femoral da coxa esquerda. Os casos não são simples e o clube corre contra o relógio para recuperar a dupla a tempo da decisão pela Copa do Brasil.

A força-tarefa criada pelo departamento médico conta com tratamento em três turnos do dia: manhã, tarde e noite. Os dois primeiros são realizados no CT e o último é feito em casa com o auxílio de profissionais do Flamengo. A aparelhagem utilizada em ambos os locais é a mesma. A informação foi divulgada inicialmente pelo site “Trivela”.

Medicina regenerativa

O Flamengo optou por realizar uma terapia intensiva que utiliza da medicina regenerativa. O tratamento consiste na retirada de células saudáveis do paciente e a reaplicação delas no local lesionado para acelerar o reparo tecidual de onde houve a ruptura muscular.

Bíceps femoral destacado na cor verde

Além disso, o clube também recorreu a terapias complementares, como no uso de um laser de alta intensidade. A luz aplicada na região aumenta a circulação de sangue e reduz o processo inflamatório, estimulando o reparo de fibras musculares. Também há a aplicação constante de gelo no local afetado.

Passado o processo inicial, os jogadores começarão a realizar alguns exercícios de fisioterapia para mover a região, progredindo nos movimentos conforme a evolução dos atletas.

Apesar de toda a logística preparada pelo clube, as chances de Luiz Araújo e Arrascaeta disputarem a final da Copa do Brasil são remotas. O tempo médio de recuperação deste tipo de caso é de quatro a seis semanas.

O período de retorno estimado varia entre a semana em que será disputada o jogo de volta contra o São Paulo e o primeiro final de semana de outubro.