Contratado como solução, jogador completa 6 meses sem jogar pelo Flamengo 

Santos em jogo do Flamengo contra o São Paulo pela Copa do Brasil (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Banner Stake


Por: Kayo Silva

O Flamengo passou um período em busca de um goleiro que chegasse e vestisse a camisa. Na ocasião, o Rubro-Negro tentava contratar Santos, que na época estava no Athletico-PR, e João Paulo, do Santos. No entanto, o Mais Querido acertou a contratação de um arqueiro com passagens pela seleção brasileira e campeão das Olimpíadas de 2021.

Santos chegou com status de titular, assumindo a posição na equipe em 2022. Com o goleiro, o Flamengo conquistou os títulos da Copa do Brasil e da Libertadores daquele ano.

Após o fim da temporada de 2022, Santos, após sofrer uma lesão em maio, perdeu espaço na equipe. Matheus Cunha, um jovem de apenas 22 anos, foi ganhando a confiança da comissão técnica e assumiu a titularidade até a chegada de outro goleiro, o argentino Agustín Rossi. Rossi havia assinado um pré-contrato com o Mais Querido no início do ano, mas, devido a questões burocráticas, só chegou ao Rubro-Negro em setembro. Com isso, Santos perdeu cada vez mais espaço.

Considerado um dos melhores goleiros do futebol brasileiro, Santos fez história com a camisa do Athletico-PR. Chegou ao Flamengo para resolver um problema na posição, já que Diego Alves sofria com várias lesões consecutivas e Hugo Souza ficou marcado pela torcida após falhas em jogos decisivos.

O Flamengo investiu R$ 17,5 milhões para contratar Santos, em um contrato até 2025. Devido ao período de inatividade, o Transfermarkt avalia o goleiro paraibano em pouco mais de R$ 10,6 milhões. Ciente de que Santos dificilmente voltará a ter espaço, a tendência é que a diretoria não faça jogo duro para negociar o arqueiro em 2024.

Como a situação de Santos não é recente, na última janela de transferências, alguns clubes já demonstraram interesse no jogador. No Brasil, Athletico, Bahia e Grêmio sondaram o goleiro.

Flamengo buscará por ‘novos’ Erick Pulgar e Pablo Marí na Europa