Luto! Jogador morre e Arrascaeta se manifesta nas redes sociais

Por: Letícia Gerheim

O aspecto psicológico precisa receber uma atenção maior do que de fato se dá no ambiente esportivo. Frequentemente surgem casos de jogadores que revelam precisar de amparo mental para lidar com as cobranças e as frustrações da profissão.

Desta vez, porém, infelizmente parece que questões mentais tomaram a vida de um atleta. Diego Galo estava desaparecido desde a última quinta-feira (30) e foi encontrado sem vida nesta segunda (04).

O sumiço do jogador uruguaio chamou ainda mais atenção por conta de uma carta deixada por ele, na qual o atleta de 29 anos parecia bem deprimido, fez uma espécie de despedida e pediu desculpas aos amigos e familiares.

Sabendo do ocorrido, Arrascaeta fez uma publicação nas redes sociais lamentando a morte do compatriota e ressaltando a importância do acompanhamento psicológico nos clubes de futebol.

“A saúde mental deveria ser prioridade em todos os clubes do mundo”.

Confira:

(Foto: Reprodução)

Vale destacar que o Flamengo não possui nenhum psicólogo no dia a dia da equipe. Anteriormente, Marcos Braz afirmou que o clube não precisa de um profissional da saúde mental trabalhando regularmente no clube para acompanhar o elenco rubro-negro profissional.

— Quando precisa contratar roupeiro, jogador, vem a demanda, na hora que vem a demanda, (o profissional) é contratado. Há uma falácia que eu tenho problema com profissional A ou B, pelo amor de Deus, até por inteligência, eu não poderia ter restrição a isso. Existe um departamento aqui, tem psicológico no sub-20, sub-18, tem tudo ali embaixo (CT).

— O jogador A ou B que está com 17, 18, 19, 20 anos e precisa de um psicólogo quando vai para o profissional… Qual é o mais indicado: um que sempre o atendeu ou um novo? O psicólogo é um profissional em que você precisa de confiança para expor várias situações. De uma maneira covarde, acham que isso não procede, não tem. Nós temos isso na base. Até o sub-20, vários jogadores, que estão treinando nos profissionais, se quiserem e se sentirem à vontade, têm à disposição.