Mauro Cezar detona processo de votação do Flamengo

Mauro Cezar - Foto divulgação Jovem Pan

Em participação no programa “JP Esportes” nesta terça-feira (5), o renomado jornalista esportivo Mauro Cezar Pereira trouxe à tona uma importante discussão sobre o modelo de eleições internas de grandes clubes de futebol, como o Flamengo. A questão central abordada foi a exclusão dos sócios torcedores do processo eleitoral, que, segundo ele, contradiz a lógica de inclusão e participação dos apaixonados pelo clube.

Mauro Cezar criticou veementemente o atual sistema eleitoral do Flamengo, que restringe o direito de voto nas eleições presidenciais aos sócios proprietários, desconsiderando assim milhões de torcedores. O Flamengo, conhecido por ter a maior torcida do mundo, com mais de 40 milhões de torcedores, vê seu futuro decidido por um número significativamente menor de pessoas. Na última eleição, por exemplo, Rodolfo Landim foi reeleito com 1301 dos 2011 votos possíveis, uma fração mínima em comparação à vasta legião de seguidores do time.

Leia também:

O jornalista fez uma comparação entre as práticas adotadas pelo Flamengo e por outros clubes brasileiros, como Internacional e Fluminense, que permitem a participação de sócios torcedores em suas eleições. Mauro Cezar destacou essa diferença com palavras fortes: “Internacional tem voto para sócio-torcedor, o Fluminense também tem. Alguns clubes têm. Aí o dirigente fala assim: ‘Seja sócio torcedor, dê dinheiro para o clube, compre camisa oficial, e aí eu deixo você votar’. Agora, esses clubes como Flamengo são assim: ‘Seja sócio torcedor, dê dinheiro ao clube, compre produtos oficiais. Quer votar? Aqui para você!’”

A crítica de Mauro Cezar não se limita apenas à questão eleitoral, mas também à perceção de que os clubes sociais não seriam os principais geradores de receitas comparados à paixão e ao apoio dos torcedores de futebol. O jornalista enfatizou a importância da torcida na grandeza dos clubes: “‘Que votar o que, rapaz. Quem vota são os sócios do clube, os donos do clube’. Como se o clube social gerasse a receita de um bilhão. Clube social não gera receita nenhuma de um bilhão, o que gera é a grandeza do clube, a torcida, é o futebol. O futebol que desperta a paixão de pessoas do Brasil inteiro. Isso é uma das coisas mais bizarras que há no futebol brasileiro”, concluiu Mauro Cezar.

A discussão trazida por Mauro Cezar Pereira no “JP Esportes” reflete uma preocupação crescente entre os torcedores do Flamengo e de outros clubes, que desejam maior participação e representatividade nas decisões que afetam o futuro de suas equipes. A exclusão dos sócios torcedores das eleições internas não apenas afeta a sensação de pertencimento e identidade dos torcedores, mas também questiona o modelo de gestão e inclusão adotado por alguns dos maiores clubes do país.

Quando vai ser o próximo jogo do Flamengo?

O Flamengo enfrentará o Fluminense no próximo sábado (09), pela semifinal do Campeonato Carioca. A partida ocorrerá no Maracanã, no Rio de Janeiro, com início às 21h (horário de Brasília). A partida terá transmissão da Band (TV aberta), Band Sports (TV fechada), Canal Goat (Youtube).

Confira abaixo a agenda do Flamengo:

02/03 – Flamengo 3 x 0 Madureira
09/03 – Fluminense x Flamengo
17/03 – Flamengo x Fluminense