Vídeo: Mauro Cezar Pereira enquadra jogador do Fluminense ao vivo

Mauro Cezar - Foto divulgação Jovem Pan

No último sábado, o cenário do futebol carioca foi marcado por mais um capítulo da rivalidade entre Fluminense e Flamengo, desta vez pela semifinal do Campeonato Carioca. O confronto terminou em um empate sem gols, 0 a 0, perpetuando a sequência difícil para o Tricolor, que agora soma treze clássicos sem conhecer o sabor da vitória. Esse resultado não só eliminou o Fluminense da competição, mas também igualou recordes negativos de jejuns históricos do clube, comparáveis apenas aos anos de 1961/1962 e 1995/1996.

Apesar desse momento desafiador, o volante André, apontou para uma perspectiva diferente na análise do desempenho recente do time. Em declarações após o jogo, ele criticou o enfoque da mídia nas adversidades, preferindo destacar as conquistas expressivas do Fluminense. O clube, sob sua ótica, merece reconhecimento por ter sido bicampeão estadual, campeão da Libertadores e da Recopa, ressaltando um período de triunfos que parece ser ofuscado por uma fase de resultados menos favoráveis em clássicos.

Leia também:

André também enfatizou a transformação significativa pela qual o time passou sob a liderança do técnico Diniz. Desde a chegada do treinador, o Fluminense reverteu uma situação preocupante no Brasileirão, saindo da zona de rebaixamento para terminar a competição em terceiro lugar.

— Vocês tão falando tanto que a gente vem de 13 clássicos sem vencer, mas esquecem de falar que somos os bicampeões estaduais, acabamos de ser campeões da Libertadores, voltamos, treinamos cinco dias, e fomos campeões da Recopa. Vocês falam muito do lado negativo. Tem que falar do trabalho que vem sendo construído. Diniz assumiu o time no Z-4, fomos o terceiro colocado no Brasileiro, e no ano passado campeões da Libertadores e do Estadual, começou André antes de finalizar:

— Nossa equipe estreou de verdade nessa segunda partida. Pecamos muito no primeiro jogo. Mérito total do Flamengo. Nosso time, voltando um mês depois dos outros, não jogamos do mesmo nível. Mérito do Flamengo. Botar a cabeça no lugar, descansar e fazer uma boa temporada, finalizou ele.

Todavia, tal situação não foi bem recebida por Mauro Cezar Pereira. Muito pelo contrário, o jornalista fez questão de enquadrar o jogador, afirmando (de forma irônica) que ele deve ser um excelente jornalista: