Rodolfo Landim é sincero ao falar sobre o estádio do Flamengo

Rodolfo Landim em entrevista coletiva no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

O Flamengo está no processo de alcançar um marco significativo na sua história: a construção de seu próprio estádio. Este empreendimento, liderado pelo presidente Rodolfo Landim, representa um passo fundamental na consolidação da infraestrutura do clube. Landim, que esteve presente no Paraguai para o sorteio da fase de grupos da Libertadores 2024, destacou a importância deste projeto para o futuro do Rubro-Negro.

Em uma recente reunião com o presidente da Caixa Econômica Federal, o Flamengo apresentou seu projeto para o estádio, enfatizando o desejo de financiar a construção de forma que preserve integralmente os lucros futuros. O clube busca parceiros estratégicos que contribuam com recursos financeiros sem demandar uma parte dos ganhos gerados pela futura arena. A iniciativa visa assegurar a viabilidade financeira do projeto sem comprometer a receita do clube.

Leia também:

— A gente vai discutir a forma de financiar isso. A gente tem defendido que tem como fazer isso captando dinheiro direto do clube, com aportes. E buscando sócios estratégicos, mas que não façam parte do estádio propriamente dito como forma de não onerar as receitas que o Flamengo vai ter com o estádio, explicou Landim.

A escolha do terreno do Gasômetro, na zona portuária do Rio de Janeiro, para a localização do estádio é estratégica. Este local, que foi adquirido pela Prefeitura em 2012 e atualmente pertence ao Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha, gerido pela Caixa Econômica Federal, apresenta um potencial enorme não apenas para o Flamengo, mas também para a revitalização da região. As negociações para a aquisição do terreno têm avançado, com expectativa de conclusão até o fim do mandato de Landim, em dezembro de 2024.

— Fizemos uma apresentação sobre o projeto e vamos agora enriquecer os dados que a gente já apresentou com análises complementares que foram feitas em detalhes e que a gente não apresentou na reunião da Caixa, afirmou o presidente.

O desenvolvimento do estádio é visto como um projeto de longo prazo, que deve levar mais de três anos para ser concluído, abrangendo desde a obtenção de licenças até a construção em si. Esse período será crucial para o detalhamento do projeto e para a estruturação financeira da obra.