Presidente da Caixa se manifesta pela primeira vez sobre o estádio do Flamengo

Estádio do Flamengo na região do Gasômetro (Foto: Prefeitura do Rio de Janeiro)

O Flamengo parece estar avançando em seus planos para a construção de um estádio próprio, buscando adquirir o terreno do Gasômetro na zona portuária do Rio de Janeiro. Os dirigentes rubro-negros se reuniram com o presidente da Caixa, Carlos Vieira, encontro este que indicou um interesse mútuo em encontrar termos que beneficiem ambas as partes.

De acordo com Vieira, as negociações estão em uma fase preliminar, onde as partes estão buscando alinhar seus interesses. Ele também destacou que a área em questão é altamente valorizada devido à sua localização privilegiada no centro urbano do Rio de Janeiro. O valor do terreno foi avaliado em R$ 250 milhões, e a Caixa está utilizando parâmetros como o Cepac (Certificado de Potencial Adicional de Construção) para determinar esse valor.

Leia também:

– A área desejada, do Gasômetro, no centro urbano do Rio de Janeiro, é muito bem localizada. Nós temos alguns parâmetros porque a Caixa administra um fundo de investimento, onde há o chamado Cepac (Certificado de Potencial Adicional de Construção). Há uma relação direta entre o valor do Cepac e o metro quadrado. É uma conta aritmética.

A declaração sugere que tanto o Flamengo quanto a Caixa estão comprometidos em encontrar uma solução que seja benéfica para ambas as partes envolvidas. A utilização de parâmetros como o Cepac indica uma abordagem fundamentada e transparente no processo de avaliação do valor do terreno.

Rodolfo Landim fala sobre um estádio próprio

O presidente Rodolfo Landim falou sobre a construção de um estádio próprio após o sorteio da fase de grupos da Libertadores. O dirigente afirmou que irá buscar contribuições financeiras para viabilizar a realização do projeto.

– A gente vai discutir a forma de financiar isso. A gente tem defendido que tem como fazer isso captando dinheiro direto do clube, com aportes. E buscando sócios estratégicos, mas que não façam parte do estádio propriamente dito como forma de não onerar as receitas que o Flamengo vai ter com o estádio.

– Fizemos uma apresentação sobre o projeto e vamos agora enriquecer os dados que a gente já apresentou com análises complementares que foram feitas em detalhes e que a gente não apresentou na reunião da Caixa.