Vinicius Jr, do Real Madrid, chora ao falar sobre sua atual situação

Real Madrid e Barcelona se enfrentando (Foto: Gongora/NurPhoto via Getty Images)

Vini Jr., revelado pelas categorias de base do Flamengo e hoje brilhando no Real Madrid, tem sido uma voz ativa e emocionada na luta contra o racismo no futebol. Em uma recente coletiva em Madri, onde o Brasil se prepara para enfrentar a Espanha na terça-feira (26), o jogador não conteve as lágrimas ao desabafar sobre o cansaço emocional diante dos constantes ataques racistas que enfrenta. Apesar do apelo às autoridades para que haja punições mais severas, Vini Jr. destaca a falta de ações efetivas como um grande obstáculo na luta contra o preconceito.

— Temos que falar menos de tudo que faço de errado dentro de campo. Claro que tenho que evoluir, melhorar, mas tenho apenas 23 anos e é um processo natural, porque saí muito novo do Brasil e não tive tempo para aprender muitas coisas. Tô estudando, então por qual motivo eles, os repórteres daqui da Espanha que são mais velhos que eu, não podem estudar, não podem ver o que realmente está acontecendo, que eu estou cada vez mais triste, cada vez eu tenho menos vontade de jogar, começou o atacante.

Leia também:

— (Tira força) por todos que torcem por mim, me acompanham e que cada vez me mandam mais mensagens para eu seguir lutando por eles. Hoje tenho uma força muito grande dentro de mim, na minha casa, na minha família, que eles me apoiam em tudo que vou fazer e nem todos têm esse apoio. Tenho a tranquilidade de por vir aqui e falar por tantas pessoas… Quero seguir por eles, seguir por todos que sabem pelo que passo e passei e que é muito difícil, complementou ele.

— (O que frustra mais) é a falta de punições. Se a gente começar a punir todas essas pessoas que cometem crime e que, aqui (na Espanha), eles não consideram crime, nós vamos começar a evoluir e tudo vai começar a ficar melhor para todo mundo. Faço tantas denúncias, chegam cartas para eu poder assinar para fazer mais denúncias, só que no final acontece como aconteceu em Barcelona e eles arquivam o processo e ninguém sabe de nada, finalizou o atacante.

Vini também compartilhou momentos de apoio ao jovem Endrick, promessa do futebol brasileiro, destacando a importância de escutar pessoas experientes e de manter o foco, mesmo diante das pressões. Essa troca de experiências e conselhos entre as gerações é fundamental para o desenvolvimento dos jovens talentos e para a construção de um ambiente mais acolhedor e justo no futebol.

— Muito feliz de ver o Endrick fazendo o seu primeiro gol na Seleção e eu acompanhando de perto. Encontrei ele com 15 anos e ele tinha os mesmos sonhos que tem agora, de ser muito feliz, fazer grandes coisas no futebol. Ele vem evoluindo a cada dia, amadurecendo, fazendo tantas coisas com apenas 17 anos. Isso é importante para ele, para a família, espero que possa seguir no caminho certo, escutar as pessoas mais experientes que ele, como eu tive o meu processo aqui no Real Madrid, escutar essas pessoas e amadurecer tão rápido. Por chegar aqui com 18 anos, é importante ter essa tranquilidade, é o maior clube do mundo, tem muita pressão, muitas pessoas falando bem e mal de ti. Espero que ele possa fazer tudo de melhor. Se ele estiver bem, eu vou estar bem, se eu estiver bem, meus companheiros estarão bem. Se meus companheiros estiverem bem, o clube vai estar bem. Espero que ele possa ter tranquilidade, vou estar aqui para ajudá-lo em tudo.