Flamengo é um dos times com menos tempo de descanso no Brasileirão

David Luiz em ação pelo Flamengo contra o Athletico-PR (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Banner Stake

O Flamengo está vivo em três competições na temporada e vem enfrentando uma maratona de jogos, que causa desgaste físico e, com ele, lesões. Um levantamento, inclusive, aponta que o Rubro-Negro é um dos times da Série A com menos tempo de descanso no Brasileirão.

O ranking analisa a média de descanso das equipes desde início do Campeonato Brasileiro, e o Flamengo é o terceiro time do levantamento. O Rubro-Negro tem um jogo a cada 5.988 minutos, atrás apenas de Cuiabá, 5.444 minutos, e Fortaleza, com 5.765 minutos.

A diferença na minutagem das equipes se dá pela quantidade de partidas disputadas desde o início do Brasileirão. O Flamengo foi a campo 21 vezes desde que o torneio nacional começou, enquanto Cuiabá jogou 23 vezes e o Fortaleza 24 partidas.

Se considerarmos a média entre jogos desde o início da temporada, o Flamengo sai da terceira para a nona posição, mas segue entre os 10 times com menos tempo de descanso entre os 20 clubes da Série A. Neste caso, a média de minutos entre os jogos do Rubro-Negro sobe para 6.652 em 38 partidas.

O levantamento foi elaborado pelo Espião Estatístico, do GE, e aponta exatamente o período de descanso. O menor tempo registrado entre as partidas do Flamengo foi de 3.990 minutos (66,5 horas), entre as rodadas 3 e 7 do Carioca, disputadas entre os dias 7 e 10 de fevereiro.

Já o maio tempo registrado entre as partidas foi de 19.920 minutos (332 horas), nos jogos entre a volta da semifinal do Campeonato Carioca e a ida da final do torneio, entre 16 e 30 de março.

O que diz a determinação

Laudos clínicos apontam que o tempo ideal de pausa entre as partidas é de 72 horas, mas o calendário apertado do futebol brasileiro não está permitindo tal intervalo. Atualmente, os jogos estão sendo realizados, em média, com uma pausa de 66 horas entre um duelo e outro.

Houve um acordo entre a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) e Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que o intervalo chegasse às 66 horas e atendesse o alto volume de partidas, mas há uma tentativa de retomar a pausa indicada de 72 horas.