Confiante, presidente do Flamengo projeta 2019: “A ordem é ganhar tudo”

Rodolfo Landim durante entrevista coletiva na Gávea (Foto: Agência Foto BR)
Banner Stake

Além do Carioca, o presidente do Flamengo acredita que é possível conquistar mais títulos neste ano. O time disputa Brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores e talvez a Copa Sul-Americana.

“Não tem essa de jogo mais importante: no Flamengo a ordem é manter o foco em ganhar tudo. Desde que tivemos a reunião na Ferj deixamos claro que o Campeonato Carioca deveria ser valorizado, dedicamos a atenção ao estadual e ficamos felizes por termos vencido. Agora temos outras etapas pela frente, a Libertadores é um campeonato importantíssimo, assim como o Brasileirão e a Copa do Brasil”, declarou Rodolfo Landim durante entrevista na festa de premiação do Campeonato Carioca.

O mandatário rubro-negro também confirmou que o clube segue em busca de reforços, mas alerta que este é apenas um dos ingredientes para conquistar títulos.

“Apesar do Flamengo despontar como grande força do futebol brasileiro em termos de plantel, o jogo se ganha dentro de campo. A gente já cansou de ver equipes que no papel eram muito mais fortes do que outras e chegar na hora não conseguirem desempenhar conforme o esperado. O poder de investimento é fundamental para ter ambição de chegar longe nos campeonatos, até para formar um plantel grande, já que os campeonatos são longos, com muitos jogos, e que envolve coisas como cansaço e suspensão de jogadores, algo natural, mas é importante que todos os times estejam bem. O grande nível de competição se dá regionalmente, o fato de ter um time um melhores condições condições força os dirigentes a terem criatividade para melhorar seus próprios times”, argumentou.

Rodolfo Landim usou o modelo de gestão do Maracanã coordenado pela dupla Fla-Flu para ressaltar a importância do futebol carioca.

“É um sonho que o torcedor carioca tinha de que esse importante ativo do Rio de Janeiro tivesse sendo administrado pelos clubes, aqueles que realmente tem a capacidade de levar público para os espetáculos. Já deixamos claro que o Vasco é mais do que bem-vindo também, desde que se comprometa a jogar um número de partidas no estádio, senão não faz sentido. Isso é fundamental, a gente não precisa de intermediário, os clubes já tem maturidade suficiente para fazer essa administração”, finalizou ele, que assumiu a diretoria neste ano.

Retirado de: Torcedores