Jornalistas questionam postura do Flamengo em renovações de contratos

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e Marcos Braz, vice de futebol do clube (Foto: Reprodução/ Goal)

O Flamengo desafios significativos na renovação de contratos com seus jogadores icônicos. Recentemente, o clube conseguiu renovar o contrato com Bruno Henrique, mas a situação com Gabigol continua incerta. O Flamengo optou por aguardar a performance do jogador em 2024 antes de decidir sobre a renovação de seu contrato​​.

No programa “Posse de Bola”, os jornalistas Arnaldo Ribeiro e Mauro Cezar Pereira discutiram essas questões. Ribeiro apontou uma prática cada vez mais comum no mercado da bola brasileiro: “Temos um dos técnicos mais bem pagos do mundo. Os 10 principais clubes têm folha salarial com padrão Europa. Agora tem uma nova era. Aquela que um jogador mais antigo, com mais tempo no clube, está com contrato terminando e quer ser recontratado pelo clube. Isso aconteceu com Dudu no Palmeiras, Bruno Henrique no Flamengo, agora com Arboleda no São Paulo”.

Essa tendência de recontratar jogadores por valores elevados tem sido um tema de debate intenso. No caso específico de Bruno Henrique, o Flamengo enfrentou desafios na renovação. A demora na renovação custou caro ao clube, que precisou lidar com o interesse de outros clubes, como o Palmeiras​.

Mauro Cezar Pereira também se manifestou sobre essa prática: “Como é que aceitam isso? O Bruno Henrique queria uma recontratação e depois mudou, porque a repercussão foi péssima. O que aconteceu é que isso foi jogado, ‘vamos ver como a torcida vai reagir’, tinha a história do Palmeiras. A torcida ficou contra o jogador. Aí mudou o discurso, e chegaram em um acordo”.

A situação contratual de Gabigol é um dos exemplos mais claros dessa problemática. Enquanto negociações estão em andamento, os altos valores demandados por Gabigol e Bruno Henrique levantam questões sobre a viabilidade financeira dessas renovações​​.

Essas discussões levantam questões importantes sobre a sustentabilidade financeira e a gestão de contratos nos grandes clubes de futebol brasileiros. Com a influência de padrões europeus em termos de salários e negociações contratuais, o futebol brasileiro enfrenta um momento de transição e desafios em sua estrutura de gestão.