Landim autoriza saída do Flamengo e gera desconforto em Braz

Marcos Braz durante coletiva de imprensa no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) está de olho em Juan, ex-zagueiro do Flamengo, para integrar sua equipe de coordenação, conforme planejamento do presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues. A decisão conta com o aval de Rodolfo Landim, presidente do clube carioca, que autorizou o início das conversas. No entanto, essa movimentação gerou um certo desconforto dentro da diretoria do Flamengo, especialmente com Marcos Braz, o vice-presidente de futebol, que vê Juan como uma peça fundamental na gestão técnica do time e discorda da possibilidade de sua saída.

A proposta da CBF a Juan surge em um momento delicado para o Flamengo, que recentemente perdeu Fabinho Soldado, membro importante da equipe técnica, para o Corinthians. Essa não é a primeira tentativa da CBF de trazer novos talentos para sua coordenação. Anteriormente, uma oferta foi feita a Filipe Luís, que optou por seguir carreira como treinador. Agora, com Juan mostrando interesse na proposta da CBF, a situação se complica para o Flamengo, que já vê a possibilidade de perder mais um de seus colaboradores.

Leia também:

Marcos Braz, conhecido por sua capacidade de gestão e proximidade com os jogadores e a equipe técnica, não escondeu sua insatisfação com a abordagem da CBF, criticando a falta de consulta prévia ao clube. Apesar da aprovação de Landim à negociação, a posição de Braz destaca a tensão interna.

Enquanto a CBF busca fortalecer sua equipe de coordenação com profissionais experientes e reconhecidos, o Flamengo enfrenta o desafio de manter sua estrutura técnica intacta. A possível transferência de Juan para a CBF não apenas testa a coesão interna do clube, mas também levanta questões sobre a dinâmica de poder e a capacidade de retenção de talentos frente a ofertas de entidades maiores.

Carreira de Juan

Juan, ex-gerente técnico do Flamengo (Foto: Reprodução/Instagram)

Natural do Rio de Janeiro, Juan iniciou sua trajetória nas categorias de base do Flamengo, clube pelo qual fez sua estreia profissional em 1996. Ao longo de sua primeira passagem pelo clube rubro-negro, ele se destacou como zagueiro, posição na qual foi improvisado após começar sua formação como meio-campo. Sua habilidade defensiva e capacidade de marcar gols foram cruciais para o Flamengo, especialmente durante a conquista da Copa Mercosul em 1999 e a Copa dos Campeões em 2001, marcando em ambas as finais e ajudando a garantir a vaga do Flamengo na Libertadores de 2002​​.

Após seis anos defendendo o Flamengo, Juan transferiu-se para o Bayer Leverkusen da Alemanha em 2002, onde permaneceu por cinco anos, formando uma sólida parceria defensiva e marcando dez gols em 139 jogos pela Bundesliga. Posteriormente, em 2007, mudou-se para a Itália para jogar pela Roma, clube no qual conquistou uma Coppa Italia e uma Supercoppa Italiana, além de marcar 11 gols em mais de 140 partidas durante sua estadia​​​​.

Juan em ação pelo Flamengo, durante uma partida da Libertadores, no Maracanã (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Em 2012, Juan retornou ao Brasil para jogar pelo Internacional, onde permaneceu até 2015 antes de fazer seu retorno ao Flamengo. Seu retorno ao Flamengo marcou o final de sua carreira como jogador, encerrando-a em 2019 após conquistar o Campeonato Carioca.