Ídolo do Flamengo, Zico é sincero e dá sua opinião sobre Gabigol

Encontro entre Zico e Gabigol (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Zico, maior nome da história do Flamengo, expressa confiança na recuperação de Gabigol, atual dono da camisa 10 do clube. Para o ídolo rubro-negro, o atacante está em melhores condições do que no início de 2023, após ter relaxado após a conquista da segunda Libertadores. Zico lembra que Gabigol prometeu mais uma Libertadores antes de entrar de férias.

Eu acho que o Gabigol voltou para esse ano diferente. Melhor preparado do que no ano passado. Depois da segunda Libertadores, o pessoal deu uma relaxada. Eu lembro de uma entrevista do Gabigol depois da conquista (de 2022), ele virou e falou: “Eu prometi ao Braz que ia dar mais uma Libertadores para ele e depois entrar de férias”. Logo depois do jogo. E foi o que aconteceu. Aí o pessoal diz lá que, pô, foram 40 dias de férias. Para voltar em competições já importantes. O Flamengo não se preparou adequadamente, e isso refletiu nos jogadores e em cima dele — disse zico.

Leia também:

Apesar de ver Gabigol com possibilidades de voltar a ser protagonista, Zico entende que o ídolo terá que brigar por posição com Pedro, artilheiro do time desde 2022. Dorival Júnior e Tite utilizaram bem a dupla, e a dinâmica tática entre ambos foi funcional. Tite, por exemplo, opta por uma formação com um aberto de cada lado e um centroavante, o que exigirá de Gabigol uma adaptação para disputar a posição, já que Pedro é a opção atual.

Você vê que Dorival Júnior usou bem o Pedro e Gabigol. A dupla funcionou, e funcionou bem. (…) O Tite tem a situação de um aberto de cada lado, e um “centroavantão” ali. Vão disputar posição. Uma coisa é jogar aberto para você fechar. Quando Gabigol caía pela direita, o Bruno Henrique entrava de centroavante. Quando Bruno Henrique ia para esquerda, o Gabigol entrava ali, com o Jesus — afirmou Zico.

Dos dez jogos do Flamengo no Campeonato Carioca, Gabigol participou de oito, porém, foi titular em apenas dois confrontos, marcando gols nessas partidas. Além disso, o camisa 10 também teve poucas oportunidades na reta final do Brasileirão do ano passado, sob o comando de Tite, ficando no banco de reservas.

Com o Pedro foi a mesma coisa. Você vê que o Pedro, com o Dorival, quando o time perdia a bola, o Gabigol vinha para o meio, e ele (Pedro) abria na esquerda. Para marcar e ter o João Gomes pelo meio com o Arrascaeta. Com Tite não é diferente. Gabigol não vai conseguir ficar jogando como joga o Luiz Araújo pela ponta. Vai ter que disputar no meio, hoje é a opção do Pedro. Se ele se preparar bem, como está, para o momento que tiver oportunidade… A briga é boa. Mas não é um jogador realmente para ficar no banco de reserva — completou o Galinho de Quintino.