A declaração de Antônio Oliveira após mais um tropeço do Corinthians

António Oliveira, técnico do Corinthians (Foto Reprodução/Instagram)
Banner Stake

Técnico reconhece problemas extracampo e manda recado para diretoria

Após mais um tropeço do Timão, o técnico Antônio Oliveira espera reforços da diretoria nesta próxima janela de transferência. O comandante relembrou as saídas recentes do elenco e com isso espera novos jogadores.

O português falou sobre as crises extracampo que vem atingindo o Corinthians nos últimos dias e como isso tem afetado o elenco. Antônio tem a esperança que o clube consiga se estabilizar e que tenham paz para seguir trabalhando da melhor forma possível.

Há uma exigência técnica e uma necessidade clara que a equipe tem. E eu, como treinador, quero ter 20 jogadores com capacidade para competir dentro da sua posição. Basicamente é ter dois jogadores por posição capazes de competir até dentro das competições, porque nós, o Corinthians, estamos em todas as competições e com objetivos dentro dela. Essa é que é a realidade, disse, Antônio.

Independentemente de percebermos que a semana tem sido conturbada, mas dentro daquilo que é o nosso grupo, aí ninguém toca, ninguém mexe, independentemente nós sabermos o que nos passa ao lado. E o que nós queremos é um clube são, um clube estável, um clube onde existe a paz. Para nos transmitir também isso, essa segurança, essa estabilidade, para nós podermos desempenhar as nossas funções, completou, Antônio.

O técnico ainda falou sobre a possível saída de Carlos Miguel e aproveitou o momento para alfinetar a diretoria alvinegra.

— É evidente que temos sofrido muitos revezes dentro daquilo que é o nosso elenco. Portanto, muitas saídas, muitas lesões. E nessa perspectiva vamos cada vez mais reduzindo aquilo que são as nossas opções. Existe uma necessidade clara de reforço da equipe, mas agora nós não podemos reforçar. Temos que viver com esta gente que tem tido um prazer e um orgulho enorme de trabalhar, até mais sete jogos. Portanto, a partir daí, vemos o que é que se vai passar, ressaltou o português.

Eu não sou o homem do dinheiro, portanto, tenho claro uma exigência técnica para reforçar aquilo que é a equipe. Eu não tenho dinheiro, portanto, isso aí, com certeza que é com a diretoria, que aqui está o Fabinho na representação. Com certeza já sabem as necessidades, as exigências, as responsabilidades e estamos a trabalhar nesse sentido para tornarmos um Corinthians cada vez mais forte, finalizou ele.