Proprietário do Azeite Royal revela porque rompeu acordo com o Flamengo e os demais times do Rio de Janeiro

Escudo do Flamengo é exposto próximo a um dos gols, no gramado do Maracanã (Foto: Daniel Castelo Branco)

Neste sábado (21) os quatro principais clubes do Rio de Janeiro tiveram seus contratos rescindidos com a empresa Azeite Royal. Motivada pela pandemia do Coronavírus, a estratégia adotada pelo empresário e dono da empresa, Eduardo Giraldes, é de evitar despesas, pois no momento não há retorno financeiro, além das implicações causadas pela limitação da produtividade que tem abalado o setor financeiro internacional.

Assim como Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama, a publicidade no Maracanã também foi finalizada. Portanto, a logomarca da empresa será retirada do estádio, assim como dos materiais esportivos das equipes citadas.

Em entrevista exclusiva à Vavel Brasil, Eduardo detalha os principais pontos da medida concretizada hoje. “No momento não tem futebol, portanto não tem como estampar a marca. Sem algum retorno, é inviável para a gente fazer esse tipo de investimento”, comenta o empresário.

Diante do atual cenário de mobilização mundial, Eduardo Giraldes também destaca a necessidade de se atentar às questões financeiras. “A fábrica fica no exterior (Portugal), e assim, temos que exportar grande parte dos produtos. Com todo esse problema causado pelo Coronavírus, é difícil ter trabalho. O nosso foco será no combate aos problemas atuais, e depois vamos ver o que poderá ser feito”, ressalta.

Em trecho cedido ao portal Globo Esporte, Eduardo comenta a nova postura da empresa. “Vamos focar nesta crise mundial com os supermercados, que são os que precisam desse tipo de ação. Não existe marketing no mundo melhor que o futebol, mas a situação vai além. Temos que entender o momento que o mundo está passando”, comenta.

Retirado de: Vavel

8 COMENTÁRIOS

  1. O flamengo tambem teve despesas e deixou de cedef uma vaga pra outra empresa entao isso tem serias conseguencias financeiras tem que reacer na justiça mesmo

  2. Entendo o Lado do Azeite porém, se o Flamengo entrar na Justiça Eles vão perder pois eles romperam o contrato sem ao menos negociar com o Clube vão levar arranco na justiça. Uma empresa desse tamanho, será que não tem um Jurídico competente para ver isso antes de tomar essa decisão errônea? E o Flamengo está correto em entra na justiça, pois eles tem que cumprir com o contrato que assinaram.

    • Eles não preocuraram os Clubes para um acordo. Agora vão perder a causa na Justiça. Gostaria de entender o que passa na cabeça de um empresário de achar que sua empresa pode romper um contrato desse Jeito. Esse empresário tá muito mal acessorado em seu Jurídico.

  3. Deveria ter procurado os clubes para um acerto…a suspensão era uma proposta…agora romper o contrato lhe trará prejuízos, pois os clubes devem aciona-lo na justiça…

  4. O caso não era de romper, mas sim, de suspender o contrato. E assim que diz o bom senso. Seria o meio menos grávido para a Royal. Cadê o seu jurídico?;Eu advogo há 33 anos e sei o caminho das pedras na área cível. Agora é condenação na certa, se não houver acordo. E isso! Prá frente Mengao, ricão, campeão, queridão!😜😜😜😜😜😜

  5. Mesmo sendo flamenguista entendo o lado da empresa, fica difícil nesse momento as empresas cumprir com o acordo, o negócio é esperar a poeira baixar.

    • Também entendo o Azeite, mas ele precisa entender que o Flamengo abriu mão de varias propostas para dar lugar a ele. Isso significa um prejuízo pros cofres do clube.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here