Árbitro de Atlético-MG x Flamengo relata objetos arremessados pela torcida e xingamentos de dirigentes

0
Gabigol em jogo do Flamengo contra o Atlético-MG pela Copa do Brasil (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

A partida entre Flamengo e Atlético-MG da última quarta-feira (22) foi agitada dentro e fora de campo. O tumulto foi relatado por Luiz Flavio de Oliveira, que contou sobre as infrações cometidas pela torcida dos donos da casa e de um dirigente rubro-negro.

O primeiro acontecimento citado pelo árbitro foi visto até mesmo na transmissão da partida. Ainda no primeiro tempo, Arrascaeta tirou um isqueiro do campo e o entregou ao assistente, que contou o caso a Luiz Flavio. O episódio aconteceu novamente no segundo tempo do jogo.

— Aos 8 minutos do segundo tempo foi arremessado um isqueiro próximo ao assistente nº 02 Miguel Cataneo Ribeiro da Costa vindo da torcida do Atlético Mineiro e aos 15 minutos do segundo tempo foi arremessado um ferro com porca rosqueada e uma ruela na direção da área penal da equipe do Flamengo vindo da torcida do Atlético Mineiro. 

Além das infrações da torcida atleticana, o árbitro também relatou as ofensas proferidas por Cacau Cotta, do Flamengo, à arbitragem. De acordo com o documento, o dirigente rubro-negro reclamou das decisões tomadas em campo e xingou membros da comissão escalada pela CBF.


— No intervalo da partida, quando a equipe de arbitragem se dirigia para o vestiário próximo às escadas de acesso ao campo, o sr Luiz Cláudio Cotta da Silva, chefe da delegação do Flamengo, proferiu os seguintes dizeres à equipe de arbitragem “você tem que dar para os dois lados, está prejudicando a gente” e, no túnel de acesso aos vestiários, continuou proferindo palavras direcionada à equipe de arbitragem “ninguém vai roubar o Flamengo não, c…”.

Começando o próximo confronto na desvantagem, o Flamengo volta a encontrar o Atlético-MG no dia 13 de julho, no Maracanã. A partida em questão será o jogo de volta pelas oitavas de final e decidirá uma vaga na próxima etapa da Copa do Brasil.