Especialista em linguagem corporal analisa acusação de Gerson

10
Gerson em ação pelo Flamengo no jogo contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro de 2020 (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

No dia 20 de dezembro, um domingo, o Flamengo enfrentou o Bahia, em uma partida muito intensa e recheada por grandes chances de ambos os lados. O jogo terminou com o placar de 4 a 3 para o time da Gávea. A questão maior do duelo, no entanto, não foi relacionada ao placar ou mesmo ao ritmo de jogo.

O marcante do encontro foi a denúncia do volante do Mengão, em rede nacional, na qual o jogador relatou ter sido vítima de injúria racial por parte de um dos meias do Bahia. No relato, o Coringa do Fla disse que Juan Ramírez falou para ele: “cala a boca, negro”.

A situação ganhou grande proporção e o camisa 8, representado pelo departamento jurídico do Flamengo, abriu processo contra o jogador, o juiz e também contra o então treinador do tricolor, Mano Menezes. O jogador, acompanhado de Rodrigo Dunshee, já depôs na Delegacia de Crimes Raciais e, desde então, houveram especulações e muitas opiniões sobre o assunto.

Por conta da repercussão, o dono do canal Metaforando, no YouTube, Vitor Santos, especialista em linguagem corporal, investigador profissional e perito técnico das microexpressões faciais decidiu analisar o vídeo da denúncia de Gerson. Em seu vídeo, Vitor detalhou o caso e afirmou que as principais expressões do volante são de raiva, medo e nojo.

“Provavelmente está sendo muito difícil para ele afirmar que foi vítima. Ele é bem objetivo na linha narrativa. Normalmente numa linha narrativa forjada a tendência é ficar colocando muitos detalhes, ser menos direto. Aqui o Gerson tem pressa, ele fala bem rápido o que aconteceu. Tem um ponto bem similar às narrativas genuínas. O comportamento facial majoritário do Gerson foi de raiva, que é um comportamento muito associado às narrativas genuínas. Porém, ele também expressa medo várias e várias vezes”, declarou o especialista.

Confira a análise na íntegra:

10 COMENTÁRIOS

  1. Tenho certeza q os q estão desdenhando do Vitor, não conhecer a trajetória, o trabalho e tampouco se deram ao trabalho de conhecer o canal Metaforando. O cara é perito em ler expressões e presta serviço para processos de diversas áreas, inclusive criminal.
    Vejam o vídeo q ele fala sobre o caso e vão entender o contexto do seu trabalho.

  2. Mais um querendo aparece as custas do caso.
    Não tem provas, milhares de câmeras que há no estádio não pegou o cara falando isso. Será que o Gerson não pode ter entendido errado?
    Se Não tem provas encerra o assunto e vida que segue.

    • Milhares de câmeras? Não seria mais razoável diminuir para dezenas? Se houvesse alguma câmera que pegasse a cena nitidamente, já teria sido divulgado. Agora quer dizer que só pode ser verdade se houver câmera? Se realmente tivesse a tal câmera flagrando o lance, aí iriam reclamar a falta do áudio. Ou seja, daqui a pouco os próprios “torcedores” do Flamengo vão querer que o Gerson indenize o Ramirez, por calúnia e difamação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here