Gabigol concede entrevista para imprensa da Europa e fala sobre o seu futuro

Rodrigo Caio e Gabigol durante treinamento no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Artilheiro do Campeonato Brasileiro e da Libertadores, Gabigol vive melhor momento da carreira no Flamengo. Em entrevista ao jornal português “A Bola”, o atacante rasgou elogios ao técnico Jorge Jesus e explicou como as ideias o ajudaram a “se reinventar” como jogador.

“O Mister é um dos grandes técnicos com quem já trabalhei. Trabalhei com grandes nomes que ajudaram muito na formação da minha carreira como atleta e como pessoa, e acredito que o Mister tenha me reinventado. Sou outro jogador agora, na parte técnica, física e também tática. O Mister me deu uma visão diferente de tudo. Sou muito grato a ele, realmente mudou minha vida”, explicou Gabigol, que classifica o ano de 2019 como “o melhor da sua carreira”.

Gabigol também revelou como foi o primeiro contato com Jorge Jesus, que foi contratado pelo Flamengo em junho durante a pausa da Copa América, para substituir Abel Braga, que se demitiu do cargo no final de maio.

“Ele chegou passando muita confiança e motivação, deixou claro que acreditava no meu potencial. A gente conversa sempre, desde o primeiro dia. Isso foi fundamental no meu crescimento e de todos os jogadores do nosso grupo”, salientou Gabigol.

Empolgado com a boa fase do Flamengo, que conquistou três títulos na atual temporada, e pode conquistar o Mundial de Clubes, em dezembro, Gabigol disse crer que o Flamengo terá um período de hegemonia no futebol brasileiro.

“Acredito, visto que o Flamengo se estruturou muito bem. Organizou o clube, e os frutos estão sendo colhidos. Conseguimos montar uma equipe muito forte, com jogadores experientes e com muita história dentro do futebol. Agora é manter toda essa base de investimento, ter um bom sistema de sócios, patrocinadores… a tendência é que o Flamengo se mantenha no topo por muitos anos”, analisou.

Sobre o futuro, Gabigol não escondeu o desejo de retornar ao futebol europeu para tentar se consolidar no Velho Continente, já que foi bem nas duas experiências anteriores, quando atuou pela Internazionale e Benfica, mas o rendimento do atacante foi abaixo da expectativa.

“O futebol europeu é o caminho natural para todo jogador, e nunca escondi meu desejo. Sei do meu potencial, hoje me vejo muito mais maduro, experiente e ciente do que posso render lá fora também, repetindo assim os desempenhos que tive com a camisa do Santos e do Flamengo. Mas não é uma coisa para pensar agora, ainda teremos o Mundial pela frente. Temos de estar 100% com a cabeça nisso”, pregou o atacante, que disse não ter mágoa da Internazionale.

“Sempre respeitei muito a Inter desde o meu primeiro dia lá, sempre respeitei também os técnicos que passaram lá. É um clube com uma história muito linda no futebol mundial. Não existe mágoa, existe sim um sentimento de que poderia ter tido mais sequência, mais oportunidades. Mas respeito tudo que vivi lá, e isso me fortaleceu, porque nunca desanimei e sempre busquei o melhor em mim.”

Retirado de: O Dia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here