Max (Colorado Rapids), Bill (Dnipro), João Lucas (Cuiabá) e Piris da Motta (Cerro Porteño): Veja quanto o Flamengo já lucrou com as vendas

Marcos Braz em entrevista coletiva no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Banner Stake

Sem espaço no Flamengo, Piris da Motta fechou com o San Lorenzo, acordo, que segundo o “GE”, irá render U$ 1 milhão (R$ 5.7 milhões) ao clube carioca. Apesar do prejuízo causado pela contratação do volante, que foi comprado por R$ 26 milhões, o acordo foi visto como satisfatório, já que o paraguaio poderia sair de graça e a o Rubro-Negro ainda ficou com 20% de uma venda futura.

Ele externou que gostaria de sair, tivemos uma proposta do Cerro. Flamengo e Cerro têm uma bola relação. A gente espera que dê certo, disse Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo.

Com a quantia, o Flamengo teve um acréscimo no montante arrecadado com negociações de jogadores em 2022. Anteriormente, Bill, Max e João Lucas deixaram o clube e contribuíram com quase R$ 10 milhões para o time, que possui a meta de acumular R$ 140 milhões ao longo do ano. Agora, o saldo está próximo de 15 milhões.

Veja abaixo a divisão de cada negócio conforme dados divulgados pelo “GE”:

  • Max (Colorado Rapids): 1 milhão de dólares (R$ 5.57 milhões)
  • Bill (Dnipro-1): 400 mil euros (R$ 2.5 milhões)
  • João Lucas (Cuiabá): R$ 1 milhão
  • Piris da Motta (Cerro Porteño): U$ 1 milhão (R$ 5.57 milhões)

Retirado de: Torcedores