Goleiro desejado pelo Flamengo é afastado; Rubro-Negro observa

0
Marcos Braz em entrevista coletiva no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Após problemas iniciais nos trâmites, a renovação de contrato do goleiro Rossi com o Boca Juniors parece ter se perdido. De acordo com o jornal “Olé”, o goleiro foi afastado do elenco e não deve defender a equipe no jogo contra o Platense, neste sábado.

As rusgas na negociação já não são segredo para a torcida Xeneize, que apoiou o arqueiro na vitória sobre o Estudiantes, por 3 a 1, em La Bombonera. Agora, Riquelme e o Conselho do Boca precisarão colocar na balança se a saída do goleiro fará bem ao clube.

Outras negociações deste tipo foram travadas na equipe de Buenos Aires, e o atleta sempre conseguiu deixar o clube. O caso mais recente é o de Cristian Pavón, que chegou ao Atlético-MG no mês passado, após revelar que não aceitaria oferta de renovação.

No momento, a diretoria xeneize entende que fez a melhor oferta possível por Rossi e, em caso de recusa, procurará outro goleiro. Por isso, é possível que Augustín não inicie diante do Platense, para dar lugar a Javi García.


Rossi ainda tem mais um ano de contrato com o Boca Juniors. A decisão de relacioná-lo ou não para o jogo contra o Platense vai muito além da comissão técnica e pode significar um indício da saída. É importante frisar, também, que o arqueiro é capitão, ou seja, as negociações frustradas podem impactar o restante do elenco.

Flamengo observa

Com a iminente saída de Diego Alves, o Flamengo procurou Rossi para saber de valores e entraves da negociação. No entanto, para o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, os trâmites são considerados complicados. O arqueiro argentino também chegou a receber sondagens do Rubro-Negro, antes da contratação de Santos.

— Em relação à essa notícia na Argentina, isso aí foi no começo, antes da gente tentar a contratação do Santos, de fato a gente analisou, a gente olhou o Rossi, goleiro do Boca Juniors, mas o Boca não queria vender. Existia também a situação de estar começando a Libertadores da América, o Boca entendia que seria muito ruim para os seus torcedores, seria uma mensagem muito ruim a todos na Argentina a venda desse jogador, e isso não foi para frente – disse, antes de completar:

Mas a gente entende que é um jogador bem acima da média, aqui no continente sul-americano, na sua posição, mas a gente confia nos nossos goleiros – finalizou.

Retirado de: Lance