Flamengo e Jorge Jesus congelam renovação diante de incertezas sobre efeitos do coronavírus

Jorge Jesus durante coletiva de imprensa (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

De Portugal, para onde foi há exatas duas semanas ficar com a família de férias, o técnico Jorge Jesus vê a renovação do contrato com o Flamengo travar diante das incertezas sobre os efeitos do coronavírus.

Embora os contatos entre as duas partes se mantenham, nesse período de 15 dias a negociação na busca por um acordo não teve qualquer avanço significativo.

O maior empecilho, que é pano de fundo para um acerto financeiro, é saber quando o calendário será retomado, o que provoca certa agonia do clube e do treinador em relação aos números apresentados.

A diretoria rubro-negra pretende retomar as conversas diretas ao fim do recesso, previsto para o fim de abril. No entanto, há grande chance das férias de 20 dias se transformarem em 30.

Como não se tem indícios de retorno do calendário de jogos, não existe movimentação no Flamengo para a volta dos treinos. Apenas a estrutura para os atletas manterem a forma em suas casas segue em funcionamento.

Desse modo, a ampliação do atual vínculo de Jesus, que vence no primeiro semestre, não é a prioridade. A preocupação principal hoje é cumprir o contrato atual do treinador e dos jogadores, já que o Flamengo ainda não sinalizou que buscará redução salarial do elenco nos próximos meses.

Até agora, a direção fez uma proposta a Jesus, no começo da pandemia, para ampliar o contrato até o fim de 2021. Antes disso, recebeu a sinalização de uma pedida salarial acima de suas possibilidades.

O presidente Rodolfo Landim deixou claro em entrevista recente que em certo momento o clube precisará pensar em opções, em um plano B. Mas por enquanto não é possível pensar em nenhuma. A regra no Flamengo é trabalhar no dia a dia, e observar os acontecimentos no país.

Retirado de: Extra

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here